terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Milagres acontecem

e foi um toque de joelhos
sonhos despertados de momentos
corações bajulados
a fresca da tarde invadindo o mundo

e nós vivendo
o pedaço azul que nos cabe
embalados em papel de presente
riscando o siso

e nesse contente emaranhado de vida
as fitas se soltam dando vivas
é mais um tempo de renovar
é mais um tempo de brilhar

então é Natal de novo
então depois de uma semana
é final de ano de novo
e cá pra nós

e cá pra riba
em cada esquina
a semente da esperança ressurge
em cada coração nasce mais um anjo [bom ou não]
a escolha é só sua, minha, tua...


by Solange Mazzeto

sábado, 27 de dezembro de 2008

Tem um tanto



tem afeto em cima da escada
jogos no travesseiro
tolices ditas em dias alternados
e tem sim e tem não, e tem... talvez
[na lábia que vira um coração no avesso]

tem lágrima esculpida a fogo
tem idéias e frases que desconectadas fulguram em poesias

tem amores desnutridos de paixão
tem a lata de óleo pelo chão

e
na busca que
nunca termina
tem aquele
aquela
que tem um tanto de tudo que queremos
mas está lá e não cá



by Solange Mazzeto
desconheço a autoria da imagem

domingo, 21 de dezembro de 2008

O Cume

desordem
acúmulo de líquido
um peso que pesa
e cansa

nado até o ponto alto
escalo montanhas de vidro
meus pés descalços doem
e sento

trafego por sinais vermelhos
a rua desliza sob meus dedos
o parafuso desparafusa
e cedo

volume
e a distância dá medo
o sonho morreu
e o perfume venceu
...
e tudo ficou negro
...
no cume de nós mesmos
...


by Solange Mazzeto

sábado, 20 de dezembro de 2008

Lennon e a PAZ

http://br.youtube.com/watch?v=N6R_Ritwv2c

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Ataque de pânico

Se você nunca teve um ataque de pânico, nunca fale pra uma pessoa que está tendo, 'que isso não é nada', “levanta e anda” só Jesus podia (pode) falar



Valentim Gentil –psiquiatra-

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Outro dia... outra vida...




nos sonhos
desnudei
posei pra lua
me inebriei de vida
recebi o sol na face
me coloquei a existir

me vesti de amarelo pra saudar o sol
no rosário debulhei segredos
em saudade curvei os olhos
e sorri pra inocência lúdica
que fez flores pela minh'alma
soprei a dor,
e numa tarde, mostrei todo meu amor


by Solange Mazzeto
desconheço a autoria da imagem

domingo, 14 de dezembro de 2008

Delírium



a alma ama esparramada
em berço de dor

contrita, irremediavelmente contrita
escureço e ardo

[re] vivo de lembranças embaçadas
na lente escura que dantes era rosa

o
ciclo foi rompido
o
calor adormecido

e

meu barco movido a suspiro
surripia o sopro que vem ... que vem...




texto by Solange Mazzetodesconheço a autoria da imagem

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Outros tempos

o coração embalado em mantas douradas
tece sonhos de felicidade
de recordações íntimas
que faz bordados em lençóis
de seda

o abraço, o perfume do pescoço
a âncora de desejos
a maciez da fala
tece tristezas emaranhadas, no laço
da solidão

a falta do romancear
da língua
que fazia o corpo delirar
já não tem o mesmo destino
já não percorre o mesmo caminho
...
outros tempos
...


texto by Solange Mazzeto

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Seus olhos




seus olhos como dois lagos sinistros
me abriram um caminho
entre a loucura e a glória

você [me] tendo na graça da vez
no som da vida
no perfume de toda hora

sexo, imensidão de nados
braços se misturando
numa viagem lúdica

risos vindo de tua boca
me caiam como manto
a vida rodou

minha saia subiu centímetros do chão
seus olhos disseram tudo
e tua voz ficou sem fim
[bem dentro de mim]


by Solange Mazzeto
imagem by Olhares
eXTReMe Tracker

Marcadores