sábado, 22 de agosto de 2009

Cozinha! Lugar de feiticeira?




Quer lugar melhor? Um cheiro de mãe, um tempinho pra tirar o chapéu, sentar e prosear.

Cozinha é o lugar mais mágico pra mim, gosto da ‘música’ que há ali, uma alquimia certa, ou quase certa, lembro-me dos meus primeiros bolos, eram duros, um tanto queimados nas bordas, as assadeiras de minha mãe eram todas retangulares [até hoje são], não gosto de bolo quadrado e nem retangular, gosto de bolos redondos, parecem sem fim, são mais generosos, as bordas são macias...

Comida é algo formidável de se fazer, você faz um arroz e ele sai soltinho, branquinho, ainda gosto de cortar as cebolas, amassar o alho, não uso temperos prontos, não tem graça, e uma vez eu li, que toda vez que se corta uma cebola numa casa, retira-se doenças da mesma casa. Pelo sim, ou pelo não, corto-as diariamente.

Hoje fui à feira, e uma mulher vendia alho já descascado, sei que os tempos mudaram e tem muita mulher que não tem tempo de descascar alho, sei das modernidades todas existentes no mercado, sei que por vezes, não tenho tempo também, mas arrumo tempo, uma coisa que faço? Quer saber mesmo? Quando com pressa, pego o alho, lavo bem e coloco no amassador de alho com casca e tudo, a casca fica e o alho sai em pedacinhos...

E tem mais um detalhe, a casca do alho é medicinal, tem ricas propriedades, então numa carne de panela, ou no bife, nem precisa tirar a casca, é só lavar e colocar o alho lá inteirão, o gosto não fica acentuado [então pra quem não curte o gostão forte, se safa e é bom pra saúde, olha que beleza!]
E fazer biscotinhos fritos na cozinha, passá-los em açúcar e canela? Ah! É de comer rezando no milho... Lembro-me de minha irmã mais velha fazendo os famosos bolinhos de chuva, ô tempo bom, dá saudade da ingenuidade daquele tempo, de ficar ali com ela, e comer rindo, porque essa minha irmã me faz rir...

Meu primeiro livro de culinária, foi uma série de nove livrinhos vermelhos, que meu pai me deu, eu tinha uns 8 pra 9 anos, eram de capa dura, e ensinava o beabá todinho, do mais simples bife, até o bolo de mármore, que até hoje é meu carro chefe.

É... cozinhar é mágico, e como diz Rubem Alves, nos deixa bem próximos as feiticeiras, hum... quem sabe sou uma delas!



texto e imagem by Solange Mazzeto

2 comentários:

Regina Fernandes disse...

Ah, Solange! Mas que texto gostoso!

Cozinha pra mim tem cheiro de mãe, mas também de vó. Como eu me lembro das comidas portuguesas deliciosas de minha vó!

Adorei!

Bjs
Linda semana

Sole disse...

Oi Regina! Eu n tive uma avó presente, então pra mim é cheiro de mãe mesmo, mas q gostoso q vc teve 'dois cheiros', sortuda!

hum comida portuguesa, hummmm, q delicia!

bjooss

eXTReMe Tracker

Marcadores