sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Seus olhos




seus olhos como dois lagos sinistros
me abriram um caminho
entre a loucura e a glória

você [me] tendo na graça da vez
no som da vida
no perfume de toda hora

sexo, imensidão de nados
braços se misturando
numa viagem lúdica

risos vindo de tua boca
me caiam como manto
a vida rodou

minha saia subiu centímetros do chão
seus olhos disseram tudo
e tua voz ficou sem fim
[bem dentro de mim]


by Solange Mazzeto
imagem by Olhares

5 comentários:

malmal disse...

esse poema é lindo..

adorei

Solange Mazzeto disse...

Bom saber... bom saber, bjão

fred disse...

Muito bom, Solange.
Beijos

Regina Fernandes disse...

Lindo Solange! Que olhos são esses!?! Meu Deus!
Beijos
Lindo domingo.

Solange Mazzeto disse...

Fred, sempre meu obrigada a Vc! e beijo

Regina, nem te conto, mas esses olhos me fizeram viver e muito e ainda fazem [mas tão longe fisicamente..., mas bem perto espiritualmente] beijo pra vc amiga!

eXTReMe Tracker

Marcadores