sábado, 14 de novembro de 2009

De Mário Quintana



Os antigos retratos de parede
Não conseguem ficar longo tempo abstratos.
Às vezes os seus olhos te fixam, obstinados
Porque eles nunca se desumanizaram de todo.
Jamais te voltas para trás de repente.
Não, não olhes agora!
O remédio é cantares cantigas loucas e sem fim...
Sem fim e sem sentido.
Dessas que a gente inventava para enganar a
Solidão dos caminhos sem lua.




(do livro "Esconderijos do Tempo -
de Mário Quintana)

imagem by Solange Mazzeto

3 comentários:

Regina Fernandes disse...

Ah, Quintana! Ele é tudo de bom!

Bjs
Lindo dia pra você.

Sole disse...

Oi Regina! Sim ele é mesmo!

bjokas

Victor Gil disse...

Querida amiga.
As palavras podem ser do Quintana, mas os olhos não enganam. São de uma amiga minha que eu muito estimo e que se chama Solange. Conhece? Rsrsrsrsrs...
Acho que não estou enganado.
Um beijo
victor gil

eXTReMe Tracker

Marcadores