sábado, 20 de setembro de 2008

Você

Os olhos na noite transmitiram gula
Alegria
Força
Brandura
Suas mãos na noite eletrizaram minha pele
O toque dos joelhos assim meio 'sem querer'
Foi... bom, foi... bom
A boca tão perto
O olhar ao espelho, a face pertinho
A vontade...
O abraço seguro
Dando-me sensações amplas...
Falando sério, falando bravo, falando sorrindo
Cantando com entusiasmo
Madrugada voa
De manhã os olhos
Que na noite
Faltou o reparo
do esverdeado tom
que me lembra gato
gato-poeta
o és
...

poema by Solange Mazzeto

2 comentários:

Regina Fernandes disse...

Solange
Não deixa esse gato miar em outro telhado!
Bj grande e um ótimo sábado.
Regina

Solange Mazzeto disse...

oi Regina, ele já foi miar em outro telhado e faz tempo amiga... mas é a vida, guardo em mim o 'gato' que me fez miar, rss

beijo

PS: esse poema fiz há muito tempo, só nunca tinha postado, pq era meu, era dele, agora é do 'mundo'

eXTReMe Tracker

Marcadores