quarta-feira, 1 de julho de 2009

Sete luas



fabuloso tempo
onde nasce e morre
o desejo

houve o sopro da alegria
em rimas

houve a sorte de ter
salivas
e
saliências

nesse tempo
[ sete luas]
almas se fundiram

houve pouco tempo para o sono
[com medo de acordar e ver que era sonho]

mas foi sonho?
por favor Vida me diga...




poema by Solange Mazzeto
desconheço a aurotia da imagem

4 comentários:

Victor Gil disse...

Oi amiga.
Há quanto tempo não convives conosco. Eu compreendo. A tua actividade teatral não permite muito tempo livre. É bom sinal. Espero que a peça seja um exito.

Fabuloso tempo,
com sonhos dormidos,
com sete luas ou quatro,
com labirintos traçados,
e sentimentos escondidos,
entre oslongos
e verdes prados.

Um beijão para a minha querida amiga So.
Victor Gil

Regina Fernandes disse...

Solange seus versos trazem cor e paixão para aqueles que os leem.

Bjs
Linda quarta

Sole disse...

Oi Victor! A peça foi maravilhosa, estou de férias agora, mas com coisa a fazer [que deixei de lado]. Brigada pelos versos, bjos

Sole disse...

Oi Regina, bom saber isso que vc disse, porque ando numa fase 'branco omo' com escritos! Fiz esse hoje q saiu meio 'desesperadão', hahaha, tipo: escrevo? ou acho q n sei mais escrever, entende?

bjo querida, td de bom pra ti

eXTReMe Tracker

Marcadores